Make your own free website on Tripod.com
Cinecartaz
Pesquisa Rápida na Edição de Hoje
Veja a Primeira Página do Jornal
SECÇÕES

1ª Página Destaque Nacional Mundo Espaço Público Sociedade Cultura Desporto Economia Media Local Lisboa Local Porto Última Página Local Centro Ficha Técnica

SUPLEMENTOS
Mil Folhas
Só Texto
Previsão meteorológica
Calvin & Hobbes Bartoon
Programação TV

 

.
Calvin & Hobbes
PesquisasÚltimos 7 DiasÍndice de HojePrimeira PáginaHOMEHome|Primeira Página|Índice de Hoje|Últimos 7 Dias|Pesquisas
Local LisboaLISBOA
 

Cinema Odéon Sem Destino
Por FERNANDA RIBEIRO
Sábado, 04 de Setembro de 2004

Os promotores do Projecto Novo Odéon desistiram de levar por diante a ideia que em 2002 tinham apresentado à Câmara Municipal de Lisboa, com o objectivo de reanimar o antigo cinema situado na esquina da Rua dos Condes com a das Portas de Santo Antão.

Esta semana, Paulo Ferrero, um dos dinamizadores do projecto Novo Odéon anunciou a desistência, dado que nestes dois anos não foi possível concretizar nada do que estava previsto, nomeadamente a participação da câmara municipal de Lisboa, a quem era solicitado que adquirisse o imóvel, com valor estimado em cerca de três milhões de euros.

A ideia - agora abandonada - era de retomar a actividade de cinema, mas acrescentar-lhe outras capazes de cativar gerações mais jovens. Fosse com a criação de um cyber-café, fosse com a venda de produtos associados à actividade cinematográfica, ou a introdução de novas actividades culturais.

O antigo cinema, que fechou há já vários anos, foi posto à venda em 2000 pela Sociedade Parisiana, que é detentora do imóvel, mas desde então nenhuma entidade mostrou capacidade para adquirir e recuperar o edifício, um exemplar da "art deco" construído no início do século XX.

De acordo com Jean Michel Baudoin, um dos sócios da Parisiana, não houve ainda nenhuma proposta de compra acompanhada por um projecto sério de recuperação.

Várias projectos foram apresentados ao anterior presidente da câmara, Santana Lopes, e à vereadora da Cultura, Maria Manuel Pinto Barbosa, desde a transformação do cinema num hotel, até à criação de um pólo associado ao teatro Politeama, de Filipe La Feria. Mas nenhuma destas ideias mostrou ter pernas para andar.

A Câmara de Lisboa dizia preferir que ali se mantivesse uma actividade cultural, mas nem o projecto de La Feria, nem o do movimento Novo Odéon dispensavam que fosse a autarquia - ou alguma outra instituição com capacidade financeira - a comprar o antigo cinema, uma hipótese que o município não coloca presentemente.

O PÚBLICO tentou esta semana ouvir a vereadora da Cultura, para apurar se há alguma hipótese de dinamização daquele imóvel, mas até à hora de fecho desta edição não foi possível obter quaisquer esclarecimentos a este respeito junto do gabinete de Maria Manuel Pinto Barbosa. Topo de Página

OUTROS TÍTULOS EM LOCAL LISBOA

Cinema Odéon sem destino
Isaltino Morais acusa de Oeiras de andar a marcar passo
Comboio turístico do Douro apresenta-se em Lisboa
Benfica contesta fecho de centro de apoio a imigrantes
Almada define regras para a Margueira
Rapaz de 14 anos suspeito de atear fogos
"Águas do Ribatejo" no Fundo de Coesão
Albufeira Despiste de pesado faz um morto
Idanha-a-Nova Retirado corpo de sueco
Detidos quatro sul--americanos com 16 kgs de cocaína
Detido suspeito de abuso de menor
Príncipes britânicos no "outlet" de alcochete
Fontão de Carvalho substitui vereadora das Finanças da CML
Autarcas do Centro apelam à preparação atempada dos apoios comunitários
Loteamento polémico de Abrantes aguarda pelo tribunal
Deliberação contra PDM
Duas avenidas com trânsito condicionado
Ainda há limpa-chaminés a sério em Lisboa

 

 

   
publico.pt publiconline última hora desporto guia do lazer bd cinecartaz tvzine
fotojornalismo calvin bartoon tempo serviço público copyright publicidade ficha técnica

© 2000 PÚBLICO Comunicação Social, SA
Emails: Direcção Editorial - Webmaster - Publicidade